Financiamento para a conservação é debatido em Brasília

Os desafios e as oportunidades para alavancar recursos para a conservação foram tema do IV Encontro Diálogos Sustentáveis. Realizado em Brasília no mês de setembro, o evento foi uma iniciativa do Funbio, em parceria com a Coalizão Pró-UC, a Abrampa, a Escola Superior do Ministério Público e a Fundação Gordon e Betty Moore. O ciclo de debates buscou agregar ideias que permitam o avanço no acesso e na execução de recursos, bem como a inovação e o desenvolvimento de novas fontes.

Como membro da Coalizão Pró-UC, o Semeia apoiou o encontro liderando a mesa de debate sobre O Uso Público e as Parcerias entre os Setores Público e Privado nas Unidades de Conservação, que contou com a participação de Mauro Castex, assessor de diretoria da Fundação Florestal, Camila Rodrigues, professora e pesquisadora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Larissa Diehl, analista ambiental do ICMBio e Marcos Siqueira, sócio da Radar PPP. O debate também reuniu gestores públicos do governo federal e de diferentes estados brasileiros, bem como representantes de organismos multilaterais e de organizações da sociedade civil.

 

IV Encontro Diálogos Sustentáveis | Foto : Sergio Amaral/FUNBIO

A mesa propôs uma reflexão sobre os desafios a serem endereçados para o desenvolvimento e consolidação do uso público e das parcerias, que se destacam como uma oportunidade para que sejam oferecidas melhores opções de bens e serviços nas unidades de conservação, incluindo o aproveitamento dos serviços turísticos desses espaços.

Durante a conversa, Fernanda Aidar, coordenadora do Semeia, trouxe um panorama geral a atuação em conjunto dos setores público e privado em parques, introduzindo o tema para que Mauro Castex comentasse a experiência do estado de São Paulo e Larissa Diehl apresentasse os avanços, desafios e oportunidades referentes ao parques nacionais.

Com a experiências de diferentes entes públicos, o olhar da academia e de especialistas da área, o encontro promoveu o diálogo a partir de diferentes perspectivas. Além disso, o formato do debate permitiu a participação dos demais presentes e contribuiu para uma rica troca de experiências.

“O que percebemos é um avanço no debate sobre a relevância do uso público como ferramenta para a conservação da natureza. Nesse contexto, as parcerias entre os setores público e privado representam uma oportunidade para criar, ordenar, ampliar e qualificar os serviços de apoio a visitação, aprimorando a experiência dos visitantes, favorecendo a aproximação entre a sociedade e a natureza e, consequentemente, ampliando a sensibilização sobre a importância da conservação. Além disso, o turismo possui papel relevante para geração de emprego e renda, com efeito multiplicador nas economias locais,” comenta Aidar.

Conteúdos relacionados