Parques do Brasil | As perspectivas do poder público sobre as parcerias para a gestão de parques

A quinta edição do encontro Parques do Brasil começou com o olhar de representantes do governo federal e municipal acerca das parcerias para a gestão de parques. A conversa abordou os próximos passos necessários para que essas iniciativas se concretizem e, principalmente, se multipliquem em todas as regiões do país.

Ricardo Soavinski, Presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, afirmou que é preciso que o próprio setor público esteja preparado para que as parcerias com o setor privado sejam bem aproveitadas. Essa preparação se dá por meio de capacitação da equipe e avanços no ambiente regulatório que rege tais relações. “Nós temos buscado aprimorar os instrumentos e a gestão, mas com abertura e profissionalismo para trabalhar essa ampla gama de possibilidades de atrair pessoas e instituições para cuidar de todo esse patrimônio que nós temos”, afirmou.

A mesa também contou com a participação de Wilson Poit, Secretário de Desestatização e Parcerias da Prefeitura de São Paulo. Poit apresentou sua perspectiva de quem lidera o processo para o estabelecimento de parcerias em 14 parques na capital paulista e pontuou que “os parques estão na parte mais importante do projeto de desestatização da cidade de São Paulo, porque têm um grande impacto social”.

Com abordagens diferentes, tanto o governo federal quanto o município de São Paulo buscam na iniciativa privada aliados para a implementação de suas políticas públicas. As diferentes formas de aplicá-las, são um reflexo das particularidades de cada caso e enriquecem o cenário, uma vez que trazem mais opções de modelos para a gestão de parques no Brasil.

Conteúdos relacionados