Parques do Brasil | Parques e sociedade: uma relação de ganha-ganha

A conexão entre os parques e as pessoas foi o foco da mesa que contou com a participação de Kika Bradford, Presidente da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada, Pedro da Cunha e Menezes, Coordenador-Geral de Uso Público e Negócios do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e Philip Yang, Fundador do Instituto de Urbanismo e Estudos para a Metrópole (Urbem).

Kika Bradford abriu a conversa trazendo a importância de se ampliar visitação e garantir que os diferentes perfis de visitantes sejam contemplados na infraestrutura de uso público. “Para a gente efetivamente engajar as pessoas e promover um manejo efetivo da visitação, é preciso entender quem são essas pessoas. Existem diferentes perfis de visitantes e há espaço para todo mundo. É preciso olhar para todas essas necessidades para que a gente possa promover e maximizar os benefícios da visitação”, afirma. Kika apresentou ainda o movimento Parques para Todos, que foi criado em 2017 e tem o objetivo de promover e difundir a visitação diversificada nessas áreas.

Veterano no trabalho para aumentar o uso público nas unidades de conservação brasileiras, Pedro Cunha e Menezes trouxe a perspectiva de quem é responsável por garantir que a conservação seja efetiva e o serviço público seja de qualidade. Nesse contexto, Pedro abordou as trilhas de longo curso como instrumentos que unem visitação e proteção das espécies. “Hoje a maior causa de perda de biodiversidade é a fragmentação e uma trilha de longo curso serve como corredor ecológico funcional”, explica.

Philip Yang, por sua vez, trouxe o debate para o cenário das cidades e o papel dos parques no tecido urbano, usando o exemplo de São Paulo. “As cidades hoje passaram a responder pela maior porcentagem do PIB. Então, se quisermos continuar sendo um país urbano e que tem o seu lugar na dinâmica da economia mundial, temos que pensar que no equilíbrio territorial.  E aí entram os parques urbanos, que hoje já fazem parte dos equipamentos de infraestrutura.”

Assim, a diversidade de perspectivas do painel evidenciou também os múltiplos papéis desempenhados pelos parques naturais e urbanos, que passam pela qualidade de vida, o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental.

Conteúdos relacionados